A obra  busca retratar a nova rotina imposta pela chegada da minha filha Maria Eduarda. Neste encontro dos dois mundos, o de antes e o de agora, surge um novo ponto em comum, um novo espaço de extrema intimidade da casa, o sofá. Nele cuidamos da nossa filha, comemos, relaxamos, brincamos, brigamos. E é também onde busco equilíbrio enquanto a Maria dorme e onde reflito sobre o papel da maternidade na minha vida.
Também é o local onde vivencio os preconceitos ainda presentes na vida em família principalmente aqueles relacionados à manutenção da minha identidade social após a maternidade. Um problema enfrentado na maioria dos lares brasileiros: a luta pela liberdade da mulher e pela igualdade de gênero. 
2018/em andamento
Back to Top